Sobre Recursos Humanos, tracinhos e minhas mãos


Isso não tem releção alguma com meu post, mas fica a questão para o RH: A mão desenha o tracinho ou o tracinho desenha a mão?

Eu deveria me apresentar, mas tenho mais o que falar aqui.

Não entendo o que se passa pela cabeça de pessoas que trabalham com RH. Preciso discutir com urgência um processo seletivo que fiz para ingressar em uma empresa.

Me pediram primeiramente para fazer tracinhos num papel.

Algo mais ou menos assim: | | | | | | |.

A mulher disse que era para medir minha organização e produtividade.

Até faço tracinhos de forma organizada e veloz. Contudo, com o advento da máquina computadorizada, não há mais sentido colocar um homem comum como eu para fazer tracinhos.

Em seguida, pediram para escrever uma redação com um tema interessantissimo: “As Minhas mãos”. Quase melhor que uma redação “As Minhas Férias”.

Escrevi o seguinte: “Gosto muito de minhas mãos, pois elas me ajudam a fazer tracinhos com grande produtividade e organização. Aliás, eu nasci para fazer tracinhos, pois nasci com essas maravilhosas mãos”.


A mão representa a estupidez do homem

Disse isso, porque as vezes a gente tem que omitir alguns fatos para o nosso próprio bem. Porque, quando eu olho para minha mão, percebo que sou um idiota. Tenho 3 cicatrizes nela, que são representações da minha estupidez. Uma delas é no mindinho: uma vez,  tive a brilhante idéia de colocar tubos de ensaio nos meus dedos e, surpreendentemente, um deles quebrou e me cortou. Outra é fruto de uma tentativa de matar aula: para sair da sala, na quinta série, machuquei minha mão com a tesoura e obtive a permissão de ir a enfermaria. A última, mais estúpida e recente, é uma mordida de um cachorro – não um cachorro qualquer, mas um cachorro que eu sabia que mordia, que já tinha visto morder a mão de um menino. Mas mesmo assim, como quem não quer nada, resolvi fazer carinho.

O processo de seleção não terminou aí. Tive ainda que fazer uma entrevista.

Algumas perguntas me chamaram a atenção. A primeira delas foi quanto eu queria ganhar. Tive que usar uma estratégia Marroquina e me supervalorizar dizendo um valor absurdo e, logo em seguida, aceitando a contraproposta dela de um valor 20 vezes menor.

Depois perguntou qual era meu grande defeito. Eu disse: “não sei se isso irá interferir no meu trabalho, mas tenho duas orelhas do lado direito”. Mostrei ,em seguida, minha orelha dupla. A mulher ficou um pouco chocada, pediu desculpas, mas disse não ter problema algum.

Para terminar, perguntou minha qualidade. Respondi: “sei fazer tracinhos com uma organização e produtividade nunca vista antes”.

Isso já faz mais de um ano. Estou esperando até hoje o resultado do processo. Acho que a vaga certamente é minha…

4 respostas para Sobre Recursos Humanos, tracinhos e minhas mãos

  1. ana disse:

    fiquei na dúvida se vc gosta ou não desta mão com tantas marcas impressas por vc pp! me fala mais rs

  2. Mico disse:

    Também tive que desenhar esses tracinhos num dos testes pra tirar a carteira de motorista. Acho que deve ser importante saber fazer tracinhos perfeitos enquanto vc dirige…

  3. Pedro disse:

    O RH é um enigma para o resto da humanidade. É como uma seita secreta dedicada ao tédio, à incompreensão e a pequenos aborrecimentos em tardes de terça feira.

  4. Rê Coelho disse:

    Acho que, se o Rajah tivesse que fazer tracinhos como esses, ele estaria ocupado o suficiente enquanto você fazia carinho nele ^^

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: